sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Roleta paulista

Dos renegados campeonatos estaduais, o Paulistão nem de longe chega a ser empolgante como o vizinho carioca. Ainda que tenha sofrido uma repaginada na edição de 2014, 15 intermináveis rodadas só servirão para definir os rebaixados e quais serão as equipes do interior agraciadas com o direito de ir às finais e, assim, de fato, surpreender. Mas todo mundo sabe que os holofotes sempre estarão voltados para os quatro grandes do Estado.

Um desempenho bom no Estadual não significa nada. Até o título pode virar prêmio de consolação se não vier a tiracolo o Brasileirão, a Copa do Brasil, Sul-Americana ou uma vaga na Libertadores que seja. Mas, pela primeira vez em muito tempo, o quarteto fantástico paulista está fora do cobiçado torneio continental. Então, o Paulistão prepara o terreno para uma verdadeira guerra de cego usando foice.

O Palmeiras, recém-promovido à elite do Brasileirão e preocupado em fazer um bom ano centenário, saiu garimpando o mercado e trouxe um punhado de jogadores para abastecer a base interessante montada em 2013. Vale destacar as chegadas do veterano Lúcio, com passagem bizonha pelo rival São Paulo, e de atletas que tiveram desempenho regular na última temporada, casos de Diogo, Marquinhos Gabriel e William Matheus. No mais, apenas ilustres desconhecidos e jogadores que voltam de empréstimo (Mazinho Messi Black entre eles).

Agora sob a batuta de Oswaldo de Oliveira e com Leandro Damião no ataque, o Santos ainda protagoniza algumas novelas no mercado. Vargas, Bruno Uvini, Lucas Lima seguem negociando com o Peixe. Com contratações pontuais, o melhor time paulista no Brasileirão passado vai brigar pela SEXTA final consecutiva e, quem sabe, igualar o São Paulo em número de conquistas estaduais.

São Paulo e Corinthians pouco se mexeram no mercado. Sem vencer o Paulistão desde 2005, o Tricolor até agora trouxe o lateral-direito Luis Ricardo e deve apostar na base que quase foi rebaixada no Brasileirão passado. Já o Timão, agora com Mano Menezes no comando, trouxe Uendel, lateral-esquerdo ex-Ponte Preta, e está prestes a anunciar o volante Bruno Henrique e o lateral-direito Fagner para buscar trazer novo ânimo ao elenco que conquistou o mundo há duas temporadas.

Feito esse blá blá blá dos grandes, chama atenção o fato de que desde 2009 ou dá Corinthians ou dá Santos. A política do café-com-leite alvinegra desperta todo tipo de especulação e superstição em torno possível campeão deste ano.

Cravar que o vencedor será o empolgado Verdão, que não levanta o caneco desde 2008, ou o São Paulo de Muricy Ramalho conforta pela exceção que quebra a regra recente, mas não parece uma aposta certeira. Santos e Corinthians ainda esboçam alguma solidez mesmo com novos treinadores. E não há se esquecer que todo ano tem aquele time do interior engraçadinho que apronta e faz um barulho até as finais.

Bom, sabemos que a Federação Paulista já entregou a arma na mão do macaco. 

Saberemos o sorteado em 13.04.2014. 




Um comentário:

  1. Anota ai, esse ano é tudo verde.
    Segura Diogol e Kardecson

    ResponderExcluir